Chamusca lamenta derrota na estreia no comando, mas diz que partida serviu para fazer observações em busca da melhor formação para próximo duelo

Foto:PontePress/LuizGuilhermeMartins

Após a partida contra o Atlético Goianiense, na noite desta terça-feira (4), o técnico Marcelo Chamusca avalia o desempenho do time da Macaca. Para o treinador, que assumiu o time na segunda-feira, a equipe fez um início melhor que o adversário, mas teve uma dificuldade maior após o gol e logo na sequência, a perda de um atleta por expulsão.

“Vamos fazer uma avaliação do que aconteceu no jogo, até os 28 minutos, que foi o momento da expulsão do Nathan. Um pouco antes nos sofremos o gol, no primeiro chute do Atlético Goianiense. Estávamos com controle total do jogo e jogávamos no campo do adversário. Diga-se de passagem, apesar de termos o controle, não criamos grandes oportunidades. Mas estivemos muito mais perto no início do jogo de abrir o placar”, diz.

O técnico dá continuidade à análise:“Com um jogador a menos eu tentei reorganizar a equipe. Deixei um pouco o Tiago Real, para fazer o volante mais próximo do Lucas Mineiro e montamos as duas linhas, com o Júnior Santos mais adiantado, para criar situações ofensivas. No intervalo detectamos, até pelo tempo de inatividade do Tiago, que seria muito difícil ele fazer dupla função, que é o que precisávamos naquele momento – um volante para marcar e de chegar ao campo adversário – e fiz a primeira substituição. Depois entrou o Victor, deslocamos o Júnior mais para o lado esquerdo, o time segurou um pouco melhor a bola no ataque. Jogamos mais no campo adversário, mas estava realmente muito difícil o jogo para nós.”.

Chamusca, apesar de lamentar ter estreado com resultado adverso, já está focado na reação da equipe, para a rodada seguinte. A Ponte encara o Sampaio Corrêa, no sábado (8), às 19 horas, no Moisés Lucarelli. “Fiquei muito triste pela estreia com resultado negativo. Mas se tem uma coisa de positiva nesse jogo, é que vamos conseguir fazer observações importantes para o próximo jogo, contra o Sampaio Corrêa em casa. Para termos uma postura diferente e buscar um resultado positivo. Precisamos reagir o mais rápido possível”, enfatiza.

O comandante reforça a responsabilidade que tem. “Aceitamos o desafio de vir para o jogo e de montar a equipe. Acho até que o time aderiu bem às mudanças que foram feitas, principalmente em relação à parte tática. Mas após o gol e a expulsão ficou tudo muito complicado. Se já é difícil trabalhar apenas 24 horas para um jogo, com um atleta a menos o cenário fica mais complicado. Mas não temos que lamentar. Aceitei e a responsabilidade é minha. Os jogadores procuraram dar o máximo, estão todos muito desgastados e sábado já tem outro compromisso, vamos buscar melhorar”, finaliza.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS