Torcedor cego José Moysés da Silva é homenageado no Majestoso e inspira atletas com exemplo de superação no último treino antes do jogo contra o São Bento

Fotos:PontePress/LuizGuilhermeMartins

O treino da manhã desta sexta-feira (13), último antes de a Macaca entrar no ônibus rumo a Sorocaba, onde a equipe já está concentrada, foi especial. A convite da diretoria pontepretana, o torcedor cego José Moysés da Silva foi ao Majestoso, onde recebeu uma homenagem da Ponte Preta e dos atletas. Silva, cuja imagem ouvindo radinho no estádio na vitória contra o Fortaleza viralizou na Internet, recebeu das mãos do presidente José Armando Abdalla Junior e do diretor de Marketing Eric Silveira uma camisa oficial personalizada e um ano grátis no programa Torcedor Camisa 10+.

“Ele é um exemplo de paixão sem limites pela Ponte Preta e quisemos retribuir um pouco desta paixão”, diz o Abdalla. “Os atletas também viram a imagem dele nas redes sociais e queriam conhecê-lo. Pedimos inclusive que o Danilo Barcellos ligasse para convidá-lo em nome de todos e foi muito bacana e inspirador tê-lo conosco neste treino antes de um jogo importante”, completa Silveira.

Muito feliz em sentir todo o carinho da Ponte por ele, Silva fez uma nova declaração de amor à Ponte Preta, desta vez não com o ato de vir a todos os jogos mesmo sem enxergar o que ocorre no gramado, e sim de viva vioz. “Isso aqui é a minha vida. Só quem vive sabe o que é a Ponte, é essa magia que transforma a vida. Pra saber o que eu sinto fechem os olhos e torçam, sentindo a energia que vem do coração. Eu amo a Ponte. É simples assim, um amor que não cabe no peito.”

O torcedor também conversou com praticamente todo o elenco, ganhou abraços e autógrafos, e ainda fez questão de falar de um dos maiores ídolos dele: o técnico interino João Brigatti. “A minha audição é dobrada, então, quando o Brigatti grita no campo, consigo me emocionar com ele. Ele  não é interino ou treinador, ele incorpora o espírito de todo o pontepretano. Aliás pode deixar ele como interino mesmo, ele vai vencer independentemente do cargo.”

Brigatti, por sua vez, fala do exemplo dado pelo torcedor que não enxerga. “mesmo sendo cego ele vem ao estádio sentir a emoção do jogo. A gente fica emocionado, é um ser humano que se supera e é isso que a gente passa pra equipe: assim como esse torcedor que dá um exemplo tão grande de amor, nós também temos que nos superar a cada jogo”, afirma.

José Moysés da Silva tem 54 anos e não nasceu cego. Antes de perder a visão, ele chegou a defender a Ponte Preta nas categorias de base. Apesar de não ter seguido carreira no esporte, ele chegou a atuar em campeonatos amadores e praticava futebol com frequência até que, em 1997, teve um deslocamento de retina que o fez perder a visão. “Mudou muita coisa na minha vida, mas o amor pela Ponte não”, enfatiza Silva. 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS