Doriva comemora reestreia na Ponte com vitória expressiva contra o Náutico, mas prega pés no chão para jogo de volta em Recife

Foto:PontePress/FábioLeoni

Como não poderia deixar de ser, o técnico Doriva avalia de maneira positiva a goleada de ontem contra o Náutico por 3 a 0. Contudo, se por um lado valoriza o placar elástico que foi construído nesse primeiro duelo pela 4ª fase da Copa do Brasil, de outro o comandante alvinegro é cauteloso e prega que é preciso manter os pés no chão.

“É um início de trabalho e a confiança é importantíssima em todos os momentos. O primeiro tempo de ontem foi muito bom em termos de intensidade, conseguimos marcar o adversário no campo deles, criar situações e isso foi importante. Com certeza é uma vitória importante, em que demos um primeiro passo, pois há mais 90 minutos em Pernambuco, e temos que encarar lá da mesma forma que fizemos aqui para conseguir passar para a próxima fase da Copa do Brasil”, afirma.

O técnico reforça que não pode haver nenhum tipo de deslumbramento ou clima de “já ganhou”. “Precisamos manter a seriedade, os pés no chão, sabendo que vamos ter que enfrentar uma equipe motivada. A torcida deles também com certeza estará motivada, apesar dessa derrota que tiveram, pois recentemente foram campeões pernambucanos depois de um longo tempo. Com certeza haverá um grande público e temos que ter inteligência para aproveitar essa vantagem que construímos, mas isso não quer dizer que vamos ficar atrás. Temos que ter um posicionamento dentro de campo em que se possível também façamos gols para conseguirmos a classificação.”

O treinador comenta o estilo de jogo que se viu por parte da Ponte na noite desta quarta. “Temos um time técnico, que tem qualidade com a posse de bola, e o jogo do adversário propiciou que ficássemos mais com essa posse. Estimulo isso, é um estilo de jogo que eu gosto. Lógico que temos que fazer o controle da partida, com infiltrações, chutes de média distância, estar muito atentos aos cruzamentos, para recuperar a posse de bola. Isso te mantém na frente e faz com que a bola permaneça sob seus domínios. Fomos eficientes nos toques, isso é um dado importante para nós, porém, se não houvesse gols, isso não resultaria em muita coisa. Temos que ter posse de bola, mas também com infiltração”, explica o treinador.

Ele relembra que quando estreou pela Ponte na primeira passagem que teve pelo clube, em 2015, também com um resultado positivo, e sepra fazer isso em mais uma estréia: neste sábado, contra o Paysandu pela série B do Brasileiro. “Sempre esperamos iniciar bem. Na minha primeira vez aqui na Ponte foi contra o Flamengo e conseguimos uma vitória, mas foi mais sofrida. Desta vez conseguimos fazer os gols no primeiro tempo e para mim é muito gratificante essa vitória, começar dessa maneira traz muito benefícios. Estamos iniciando um trabalho e é importante criar essa mentalidade vencedora, então nada que uma vitória expressiva. Temos que tirar proveito dela, com os pés no chão. Nosso próximo jogo é em casa, infelizmente sem a presença do nosso torcedor, mas temos que continuar consistentes como foi diante do Náutico”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS