Brigatti diz que troféu do Interior pra ele “vale Copa do Mundo”; autor do gol, Emerson diz que parecia sonho

Foto:IsraelDeOliveira

Torcida, atletas, comissão, diretoria, funcionários e até alguns jornalistas que se viram envolvidos pela euforia dos pontepretanos: não faltou comemoração no Majestoso ontem (3) pela conquista do Troféu do Interior. E, entre os mais entusiasmados estava o treinador interino João Brigatti, que resumiu numa frase a importância do tetracampeonato: “Pra muitos não vale nada, mas pra mim é como se fosse a Copa do Mundo: é um título conquistado com a camisa da Ponte e que reflete o trabalho que fizemos, de levantar a moral,  trazer a alegria e a garra de volta ao nosso time.”

O treinador avalia  a conquista por dois lados, o primeiro deles, pessoal. “Sou muito emotivo, vibrante, de pensamento positivo. Sempre fui assim desde que me conheço por gente e quero agradecer a instituição Ponte Preta por tudo que fez na minha vida e na dos meus filhos: ela foi a grande responsável pela minha formação e da minha família, e estou conseguindo retribuir um pouco do que recebi”, diz.

O outro viés é o profissional. “Sou torcedor da Ponte, mas sou profissional, sai daqui em 2006 e fiquei dez anos me preparando. Passei em todas as categorias, fui preparador de goleiro da Ponte, depois auxiliar do Mazola, voltei aqui como auxiliar técnico e tive a felicidade de ser interino. Me preparei demais pra isso, não cai de balão, é um cargo muito difícil e este troféu mostra que foi um trabalho bem feito”, afirma Brigatti, acrescentando que divide os méritos não só com o elenco como também com o ex-gerente de futebol Gustavo e o ex-treinador Eduardo Baptista.

Sobre o futuro imediato, Brigatti – que volta a ser auxiliar com Doriva assumindo o comando – fala sobre o que espera dos reforços que virão para o Brasileiro e como espera ver o elenco que disputará a competição. “A Ponte tem que ter espírito, porque a cobrança é grande e dia a dia, ser aguerrida, competitiva, mas vamos qualificar nossa equipe, isso se faz necessário no brasileiro. Já disputei a série B várias vezes, é traiçoeira, às vezes um time começa muito bem e cai no segundo turno. A Diretoria está fazendo um esforço tremendo tentando qualificar o elenco, mas a garra e prazer de jogar já foram resgatados e vamos passar pra quem chegar que o espírito é esse”, conclui.

Sonho

Convocado recentemente para a seleção brasileira SUB20, o prata da casa Emerson fala sobre a sensação que teve ao marcar o gol do título ontem. “Achei que estava sonhando, não consigo nem descrever o que estava sentindo quando fiz o gol”, conta.

Já o capitão Renan Fonseca fala sobre o significado da conquista. “Representa demais individualmente e para Ponte. Daqui para frente é outra história, chegaremos com mais respeito e moral no Brasileiro da série B. Passamos muita coisa até chegar aqui e por tudo isso esse título é ainda mais importante” afirma.

O zagueiro Nathan, atleta que chegou no finzinho do Paulista/início do Torneio Anterior, acredita que a conquista é um prenúncio de coisas boas. “Vim com intuito de ajudar a Ponte a buscar objetivos,quando cheguei este era um e fizemos grande jogo ontem, conquistando o título. Agradeço ao Brigatti pela sequência e oportunidade que me deu e agora acredito que teremos um grande ano pela frente”, destaca.

O lateral Jeferson, muito aplaudido após o apito final, é outro que se mostra agradecido. “Estou muito feliz pelo apoio da torcida, pelo carinho que têm por mim. Só tenho a agradecer me abraçaram no momento mais difícil e ontem sai aplaudido. Só tenho a agradecer a todos”, afirma. Sobre a possoibilidade da ida para o Vitória par disoputar a série A, Jeferson é sucinto: “Se eu sair, espero um dia voltar, mas ainda não tem nada confirmado, nada certo.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS