Após primeira vitória no Majestoso em 2018, que classificou a Macaca para a 3ª fase da Copa do Brasil, Eduardo Baptista avalia desempenho da equipe e destaca pontos positivos

Foto:PontePress/FábioLeoni

Uma equipe que mostrou garra para vencer não apenas o jogo, mas também o desgaste físico. Essa é a avaliação do técnico Eduardo Baptista em relação à Ponte Preta no jogo de ontem (21), no qual a Macaca venceu o Inter de Limeira pelo placar de 1 a 0 em jogo válido pela 2ª Fase da Copa do Brasil. “Vínhamos de um jogo muito bom contra o Palmeiras, onde os enfrentamos de igual para igual e tivemos um bom desempenho e um bom futebol. Diante da Inter não tivemos um futebol vistoso, mas foi o time da superação. Após 48 horas de um jogo pesado, entramos em campo, buscamos, tivemos a paciência de buscar os espaços, não nos expor e lutamos até o final. O cansaço abateu os jogadores que atuaram 90 minutos, mas soubemos estar bem postados, tivemos maturidade para ganhar o jogo e a classificação foi importantíssima nesse momento”, diz.

Para o treinador, tão importante quanto a classificação foi o gol de Yuri, oriunda de um trabalho tático desenvolvido nos treinamentos. “Levamos o Daniel para o lado, colocamos dois centroavantes, o que foi algo que tínhamos treinado e colocamos em prática. Ainda bem que foi uma jogada dessas que saiu o gol”, destaca Eduardo Baptista, revelando ainda o que foi feito no intervalo de jogo, quando ainda estava 0 a 0 no placar. “Tivemos uma conversa de ajuste, para jogarmos pelos lados. Não houve falta de entrega. Fizemos ajustes táticos com as substituições. Voltamos melhores, fizemos o gol e levamos até o final.”

O treinador faz questão de valorizar o trabalho feito pela defesa pontepretana. “Não podemos falar em zaga sem falar dos dois laterais, que vivem um momento defensivo muito bom. É uma primeira linha que expõe muito pouco o time, poucas vezes o adversário chega de frente com o Ivan. O conjunto está muito sólido. O Renan Fonseca vive um momento importantíssimo. Seguro, bem no alto, dá estabilidade e os dois laterais são agressivos. Surgem poucos cruzamentos na nossa área, porque nós conseguimos encurtar. Depois há um tripé, com o volante oposto que ajuda. É um setor em que estamos bem encaixados”, elogia.

Na espera do vencedor do duelo entre Sampaio Correa/MA e Paraná Clube/PR, o técnico comentou sobre as equipes que se enfrentam nessa quinta-feira (22). “São dois adversários difíceis. O Paraná tem orçamento de Série A, está montando um bom time, teve uma troca de treinador recente. Tem jogadores qualificados, é um time como o nosso em montagem e que ainda não se vê uma espinha. O Sampaio é muito difícil jogar contra. Já disputei duas Copas do Nordeste contra e é muito difícil. O clima, o campo pesado, time aguerrido, de força física. E o nosso calendário começa apertar. Domingo temos o Mirassol, viajamos de madrugada para Campinas e já jogamos na quarta o primeiro jogo. Por isso é importante ter todos os jogadores e  colocar time melhor condicionado, e que possamos assim encarar bem o jogo”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS