Após empate contra o Palmeiras , técnico Eduardo Baptista elogia postura da equipe

Foto:PontePress/FábioLeroni

O técnico Eduardo Baptista valorizou o empate diante da equipe do Palmeiras em jogo realizada na noite desse domingo (18), no Moisés Lucarelli. Para o treinador, a equipe teve boas oportunidades e mostrou evolução diante de um forte time como o do rival paulista.  “Lógico que queríamos ganhar, mas uma atuação como essa para garotos que estão se formando é importante, até para eles continuarem acreditando”, diz.

O treinador explica que ontem implementou um sistema diferente do habitual, “Colocamos o 4-1-4-1 e fizemos esse time com um dia e meio de treinamento com o João Vítor, pois eu tinha que agredir o Felipe Melo e o Tchê Tchê. O Felipe acabou não vindo, mas era essa ideia. Tirar liberdade deles e conseguimos fazer bem isso. O Palmeiras quase não entrou por dentro do nosso gol. As chances foram de erros de passes nossos, devido ao campo”, afirma.

O treinador que analisa ainda outro aspecto da Macaca em campo. “Ofensivamente conseguimos jogar bastante, foi o um jogo de primeira e segunda bola, além de contra-ataques. Conseguimos aproveitar alguns, cobramos deles mais finalizações e o Orinho foi recordista. Isso é importante, porque temos bastante na tecla para todos, coisas boas de um grupo em formação.”

Ele enfatiza ainda a qualidade do adversário, invicto até agora na competição. “Pegamos o melhor time do país, tendo atuações onde faziam dois ou três gols e sempre convincentes. Não deixamos o Palmeiras criar e conseguimos jogar. Tem algumas coisas para corrigir, principalmente em entradas mais contundentes pelos lados, pois temos um centroavante pronto para matar. Queríamos ganhar, mas com uma atuação de grupo, formação de DNA, foi uma partida boa”, acredita.

Eduardo espera que, apesar de o momento ser de mudanças nesse primeiro momento da temporada, a torcida entenda e apoie quem está à disposição do clube. “O torcedor da Ponte Preta tem de ajudar esses atletas. É esse o elenco que temos e se queimarmos um atleta ou outro, nós teremos dificuldade durante o ano. O torcedor tem que entender que estamos em um momento de dificuldade e não temos muitos jogadores”, diz.

O comandante alvinegro exemplifica a situação. “No banco de reservas desse último jogo eu acabei com quatro volantes, dois zagueiros e um goleiro. E nós trabalhamos isso, não estou reclamando. Não temos um elenco grande e peço para todos eles fazerem o que estou pedindo, e eles estão fazendo. Peço paciência ao torcedor da Ponte, confiança na comissão técnica, porque o time é aguerrido e em breve terá uma sequencia de vitórias, de confiança e isso é importante”, enfatiza o técnico, que valoriza o elenco.

“Pegamos o desafio de montar essa equipe e de colocar a base para jogar. Colocamos o Felippe Cardoso, o Ivan – e ele dá segurança para a torcida – e estamos dando ritmo para o Saraiva. Trouxemos o Orinho, que ninguém conhecia no Santos, e colocamos para jogar. Estamos recuperando o João Vitor. São coisas para esse primeiro momento, de construção, que são importantes. Eu ouvi comentários que iríamos perder de goleada do Corinthians e ganhamos, contra o Palmeiras eu ouvi algumas coisas nesse sentido e fomos iguais. Estamos montando um elenco e lógico que a vitória é importante, mas estamos pontuando. Enfrentamos o Palmeiras com toda pompa que tem e os meninos não sentiram: é esse o caminho.”

Eduardo Baptista volta a comandar o elenco na tarde desta segunda (19), com foco na partida contra o Inter de Limeira pela Copa do Brasil, marcada para a noite de quarta.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS