Após classificação na Copa do Brasil, Ivan – aniversariante do dia – comemora boa atuação e técnico Eduardo Baptista analisa partida contra o Nacional

Foto:PontePress

A equipe da Ponte Preta tem o que comemorar nesse início de semana. A Macaca conquistou a classificação para a fase seguinte da Copa do Brasil, ao empatar em 0 a 0, contra o Nacional, do Amazona, na noite dessa terça-feira (6) e se o placar não movimento, também foi por causa do goleiro Ivan. Com defesas importantes ao longo da partida, o goleiro, que completa 21 anos nessa quarta-feira (7), ficou contente com o desempenho dele e do time.

“Fico feliz de ajudar minha equipe. Sabíamos que se não tomássemos gols sairíamos classificados. O pessoal correu, lutou, mas infelizmente não saiu o gol. De qualquer forma, estamos de parabéns pela classificação”, afirma Ivan, que acrescenta. “Todo jogo é difícil, independentemente do adversário. Viemos aqui respeitando o Nacional e graças a Deus saímos com o resultado”, reforça.

O arqueiro também destaca positivamente as oportunidades dadas pelo técnico Eduardo Baptista aos atletas mais novos. “Já estávamos vindo bem. O professor tem dado chance para os mais jovens e eu fico feliz porque são meus amigos. Mais uma estreia em um campeonato diferente, e os meninos se comportaram bem”, enfatiza.

O treinador da Macaca comenta sobre o empate. “Tivemos um primeiro tempo bom, com o domínio total, criamos algumas chances e como tínhamos previsto, com chegadas pelos lados. Tivemos algumas situações interessantes pelas laterais, faltou um pouco de agressividade na hora de finalizar, mas com a Ponte soberana no jogo. No segundo tempo a intensidade baixou nos últimos dez minutos, talvez pelo cansaço e acabamos dando a bola mais para o Nacional. Sabíamos que eles faziam marcação individual, perigosa, e ocorreram contra-ataques nos últimos minutos”, diz o treinador, que espera evolução do time.

“Tivemos boas virtudes, mas algumas coisas para se corrigir. Temos a sequência do Campeonato Paulista, para termos um time forte também no Campeonato Brasileiro”, pontua o técnico, que ainda sobre a partida contra o Nacional, fala a respeito do regulamento, que possibilitou a classificação da Ponte, apenas com o empate em jogo único.

“Eu acho justo. Já que estamos vindo na casa do adversário, a equipe mandante tem que sair. Eu prego sempre o bom futebol e tivemos isso na partida. As duas equipes criaram chances. É arriscado fazer um jogo só, mas só foi o grande jogo que foi pelo regulamento. Se o empate fosse pênalti eu não ia ver o Nacional tão agressivo nos minutos finais”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS