Ministério Público determina limites para torcidas organizadas da Ponte Preta

A Federação Paulista de Futebol determinou que a Ponte Preta cumpra a recomendação do Ministério Público que proíbe o uso de instrumentos musicais, bandeirões, indumentárias , entre outros elementos que identifiquem as torcidas organizadas.

Segundo o documento emitido pela Federação, “Considerando os termos do ofício nº15/17, de 17 de janeiro de 2018, por meio do qual o ilustre 1º Promotor de Justiça do Jecrim/Juizado do Torcedor recomenda a proibição do uso de instrumentos musicais, faixa, “bandeirão”, objetos, indumentárias, e demais acessórios que identifiquem as torcidas organizadas da Associação Atlética Ponte Preta”.

O documento ainda informa que cabe a entidade preservar a disciplina nos campos de futebol e para que seja proibida a entrada do conteúdo descrito acima. Ainda segundo documento do Ministério Público, assinado pelo 1º Promotor de Justiça do Jecrim/Juizado do Torcedor, Paulo Sérgio Castilho, a punição considera o comportamento violento da torcida no transcorrer dos últimos anos, em especial ao ocorrido no final do ano passado e em jogo da Copa São Paulo, na cidade de Franca, no último dia 11. Portanto, em caso de descumprimento da recomendação do Ministério Público e da determinação da Federação Paulista, a Associação Atlética Ponte Preta será responsabilizada.

A diretoria da Ponte Preta informa que solicitará uma reunião com o Ministério Público para mais esclarecimentos sobre a determinação.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS