Ponte enfrenta Vitória nesse domingo (26), no Majestoso, em duelo decisivo pela permanência na Série A do Brasileiro; Eduardo Baptista mostra confiança no time e destaca força do torcedor para o confronto

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

A Ponte Preta enfrenta o Vitória/BA, na tarde desse domingo (26), às 17 horas, no Moisés Lucarelli. Mais um jogo decisivo para a equipe, mas que se torna ainda mais importante, pois caso vença o adversário, chega na última rodada fora da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e com o mesmo número do Sport, que venceu o Fluminense ontem e no momento é o primeiro fora do Z4. Um revés, por sua vez, afasta as chances de permanência na elite do nacional. O técnico Eduardo Baptista avalia o grau de intensidade que a partida carrega.

 

“Não podemos fugir da responsabilidade, mas não podemos carregar um peso grande e esquecer de jogar e se organizar. É um jogo do mesmo nível do Atlético Paranaense em casa, onde não podíamos perder. Passamos responsabilidade, mas que estejamos organizamos. O Vitória é um time com um contra-ataque muito forte, com jogadores que vivem bons momentos, no caso do David e do Trellez, que faz gol quase todo jogo e precisamos ter os cuidados, mas ter a personalidade de jogar”, comenta o treinador, que não poderá contar com o volante Naldo, suspenso, mas que observou opões ao longo da semana no setor.

 

“Temos a volta do Élton, além do Fernando Bob, que podem substituir bem o Naldo. Não haverá muita modificação no restante do time. O Rodrigo voltou de contusão, assim como o Marllon, que nos deu um susto no Rio de Janeiro, mas já está em condições. O time do Vitória tem algumas particularidades, que nós trabalhamos em cima. Mais atenção com bola parada, pois é um adversário que fez quase todos os gols fora de casa no contra-ataque, com uma marcação muito forte e saída muito rápido. Arrumamos alguns detalhes, para poder vencer a partida”, explica.

 

Para Eduardo, apesar da pressão que existe no duelo, a parte emocional de fortalece na medida em que o jogador se prepara em todos os aspectos. “Eu acho que o atleta arrumado taticamente, bem postado, compacto, facilita muito a parte emocional. Você sabe que pode errar, que vai ter um companheiro atrás na cobertura. Isso ajuda bastante e procuramos fazer isso. Conversamos sobre a necessidade de ganhar, mas principalmente organizar a equipe e a semana de treino passa por todos os cenários: sair atrás, na frente, e outras situações que criamos, como fizemos contra o Atlético. Invertemos o sistema, a coisa andou e conseguimos vencer. Mas muito desse emocional, passa pela organização e compactação”, afirma.

 

O treinador complementa, valorizando a presença da torcida da Ponte. “O torcedor, até é clichê eu falar, mas é o 12º, 13º, 14º jogador. Precisamos dele. Vivemos em um momento de dificuldade, embora, no nosso entender, estamos crescendo nos jogos. Mas não no patamar que gostaríamos. O torcedor é fundamental. Tem que ter paciência, porque o Vitória se fecha muito próximo do gol que defende, e fica muito difícil de entrar. Que o torcedor venha, nos apoie, para sairmos juntos dessa situação”.

 

 

Ingressos

 

Os ingressos custam R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia) em todos os setores, menos nas cadeiras sociais e camarotes – estes custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).  Os ingressos para os visitantes também custam R$ 6 e R$ 3. Quem não estiver no Majestoso, tem como opção assistir ao jogo pelo Premiere, além de ouvir no rádio (FM 99,1, AM 870 ou 1170) ou ainda pelas webradios Alberto César, Futebol Interior, Macacada Reunida ou PonteNews.   

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS