Eduardo Baptista exalta luta dos atletas na vitória contra o Flamengo e quer manter a entrega para conquistar pontos tanto no Majestoso como fora de casa: foi um passo, faltam doze

Foto:PontePress/FábioLeoni

O técnico Eduardo Baptista comemora a vitória da Ponte por 1 a 0 sobre o Flamengo, na noite dessa segunda (2). Para o treinador, a equipe ainda tem espaço para evoluir, mas foi muito dedicada e mereceu o resultado. “Temos que exaltar a briga dos atletas. Foi apenas um passo, faltam mais doze para tirar a Ponte Preta dessa situação, em que ela não merece estar. Que bom que nos momentos táticos onde as coisas não funcionaram houve luta, entrega e isso que é o importante nesse momento”, afirma o técnico que, apesar da alegria pela vitória, mostra cautela.

“Eu vejo a Ponte Preta disputando a Série A com intensidade. Tínhamos cobrado ao longo da semana essa intensidade de jogo que foi mostrada ontem, essa marcação. É um início de trabalho no fim do campeonato e a gente sofre um pouco com isso, mas temos trabalhado, conversado com os atletas. A Ponte tem qualidade e temos que dar confiança a eles. E essa vitória dá confiança, temos muito fruto para dar ainda, porém é como eu disse: vitória importante, mas acabou. Temos mais doze para jogos para ir aonde podemos chegar”, reforça.

Baptista conta o quanto é complicado jogar na busca por sair de situação incômoda na tabela. “É difícil ficar no Z4, as cobranças ficam mais pesadas. Conseguimos sair, fizemos o nosso papel, agora temos que tentar buscar pontos fora contra o Cruzeiro. Sabemos que é um time tão forte quanto o Flamengo, ainda mais jogando em casa, mas temos que pontuar para continuar fora dessa situação”, comenta o treinador, que faz ainda uma avaliação sobre o equilíbrio do Campeonato Brasileiro.

“Esse campeonato é único, não tem conta para fazer. Nem o Oswald de Souza (matemático) vai conseguir falar. A conta é jogo a jogo, então é pontuar ao máximo. No ano passado nós fizemos a melhor campanha da história da Ponte Preta na era dos pontos corridos, com um aproveitamento em casa de 90% e hoje a Ponte está nessa situação porque o Majestoso deixou de ser forte. Contudo acho que conseguimos dar um primeiro passo para reconquistar: temos mais seis jogos em casa e vamos buscar fazer seis vitórias aqui, e o que for diferencial fora de casa nós brigaremos para estar um pouco mais em cima. Mas o principal é pontuar bem em casa e fazer o Majestoso forte, e o torcedor acreditar como fez diante do Flamengo. Esse é o nosso objetivo”, ressalta Baptista.

O comandante ainda destaca a força do elenco pontepretano. “Esse elenco foi vice-campeão Paulista. Eliminou o fortíssimo Palmeiras, com propriedade, e posso falar porque estava do outro lado. É a mesma equipe. Claro que saíram, mas também chegaram jogadores importantes. Eu não sou motivador, não sei chegar aqui e contar uma história bonita, mas eu sei ir para o campo e mostrar com trabalhos táticos e vídeos como as coisas podem acontecer. E isso que fizemos, conhecendo os atletas, tendo o feedback deles. Só demos um passo, e temos muita areia para carregar ainda”, volta a dizer.

O técnico finaliza valorizando o jogo feito pelos atletas alvinegros na noite de segunda. “O líder do Campeonato Brasileiro tem menos posse de bola, mas está lá na frente, e esse é o pensamento: nós buscamos resultado. Sabíamos que o Flamengo, pela sua qualidade, pelos jogadores que tem de Seleção Brasileira e de outros países, acabaria sendo mais forte. A humildade e o segredo de qualquer sistema é saber as características do seu adversário. Nós sabíamos disso e trabalhamos para isso, então conseguimos neutralizar. Taticamente formos perfeitos e, seja com mais posse de bola ou com menos, os três pontos são da Ponte Preta”, completa.

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS