Eduardo Baptista promete garra e dedicação, e resume o porquê de ter aceito a proposta da Macaca: “Tem coisas na vida pra qual nunca se diz não e pra mim a Ponte Preta é uma delas”

Foto:PontePress

O bom filho à casa torna. Comandante da Macaca durante a melhor campanha no Brasileiro na história dos pontos corridos (em 2016, quando o time ficou em oitavo lugar), o técnico Eduardo Baptista foi apresentado na manhã desta quinta-feira (21) na sala de imprensa do estádio Moisés Lucarelli. 

O presidente da Ponte Preta, Vanderlei Pereira, que assim como o diretor de futebol Hélio kazuo estava ao lado do treinador,  deu às boas-vindas a Baptista deixando claro que acredita em um relacionamento duradouro entre as partes.  "O Eduardo é o novo treinador da Ponte Preta. Está voltando para sua casa. Um grande pontepretano e treinador, o profissional Eduardo Baptista dispensa comentários. Está vindo aqui para um projeto, não para um período de final de ano. Um projeto até o final de 2018, independente do que aconteça por aí”, explica.

Eduardo Baptista possui um aproveitamento de 48% treinando a Macaca. Foram 43 jogos em sua primeira passagem com 17 vitórias, 11 empates e 15 derrotas. O novo treinador fala sobre a volta ao Moisés Lucarelli. “Realmente o meu plano inicial era me afastar esse final de ano para estudar e já tinha uma viagem marcada para quinze dias, mas tem coisas na vida que você não pode dizer não. E para Ponte Preta você não pode dizer não. Sou uma cria da casa, tive uma receptividade muito boa ano passado e tive um ano espetacular. E eu vim abraçar esse projeto”, diz o treinador que chegou a recusar outros quatro convites de equipes diferentes.

Baptista assistiu a partida contra o Sport ontem e contou suas impressões. “Os atletas mostraram uma disposição muito grande. Eles deram a receita do que tem que ser feito, mesmo jogando boa parte do tempo com um jogador a menos contra uma grande equipe que é o Sport. Eles mostraram personalidade, brio, briga, são coisas importantes que é a base de um trabalho. Em cima disso vamos construir e equilibrar para que a Ponte consiga se colocar em uma situação melhor. nas minhas contas são mais sete ou oito vitórias, e vamos buscar isso”

Para Baptista, a perda de alguns jogadores após o Paulista prejudicou a equipe. “Assisti a muitos jogos da Ponte Preta. A equipe teve um início de ano muito bom, chegando a final do Campeonato Paulista e naturalmente perdeu peças importantes. O mercado brasileiro é difícil você repor rápido, não por incompetência, mas por não ter opções no mercado e financeiramente ser inviável. Quero trazer aquela Ponte Preta do ano passado, aguerrida, buscar agredir o adversário. E temos que resgatar isso”, diz.

Ele comenta sobre as dificuldades que o time terá que superar nessa reta final de Campeonato Brasileiro. “Esse Campeonato talvez seja um dos mais disputados dos últimos tempos. Se a Ponte tem jogos difíceis, os outros também terão. Eu venho com a convicção de que a Ponte não vai cair, mas sabendo que o risco está presente. O futebol é um risco. Temos que trabalhar, fazer uma força tarefa, se internar dentro da Ponte Preta para terminar bem o ano. É dentro de casa que vamos buscar os pontos necessários para sair dessa situação e buscar fora para conseguir objetivos maiores”, finaliza. 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS