Zagueiro Alexandre, do time de amputados da Ponte, que terminou em 5º lugar no Brasileiro, é convocado para a Seleção Brasileira; hoje (21) é Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência

O time de amputados da Ponte Preta está fazendo bonito. No primeiro Campeonato Brasileiro que disputou, encerrado agora em setembro (mês no qual se comemora o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, neste dia 21), a Macaca ficou em quinto lugar, à frente de equipes tradicionais na modalidade. E o zagueiro Alexandre Neves, que em maio deste ano havia sido chamado pela Seleção Brasileira da modalidade, acaba de ser convocado mais uma vez.

“Estamos ganhando espaço aos poucos e no ano que vem vamos lutar por títulos. A vida foi feita pra ser superada e não lamentada, temos que buscar sempre nossos sonhos  e nos superarmos cada mais a cada dia”, diz o meia Juninho, um dos idealizadores do projeto. Em 2017, a equipe também foi vice-campeã da Copa do Brasil e disputou a fase de grupos do Paulista.

Além disso, neste mês de setembro, o time ganhou dois novos patrocinadores, a Techlife (tecnologia revolucionária que proporciona benefícios para a saúde, gerando bem estar e qualidade de vida –  www.biotechlife.com.br) e a Clinot, Clínica de Ortopedia e Traumatologia (www.clinot.com.br)

Primeiro time de futebol  do Brasil a abraçar a democracia racial – com negros no elenco e na diretoria desde a fundação, em 1900 – e sempre à frente de propostas inclusivas, a Ponte Preta se orgulha do time de Futebol de Amputados, modalidade que cresce cada vez mais no Brasil. Além da Macacá, outras equipes tradicionais estão começando a abraçar projetos da modalidade (Corinthians, Santos e Bahia, por exemplo, já estão se juntando ás competições) e a próxima Copa América da modalidade deverá ser disputada em território brasileiro.

 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS