Kleina afirma que irá trabalhar para resgatar o bom futebol e o brio dos jogadores para sair da crise que o time está enfrentando no Brasileiro

O técnico Gilson Kleina afirma que a Ponte Preta está vivendo o pior momento no Campeonato Brasileiro e que é preciso refletir sobre o que está ocorrendo e, mais que isso, trabalhar ainda mais para sair dessa situação complicada de momento. “Ontem a s coisas não aconteceram e, na minha história na Ponte, é o pior momento que estou passando. Eu acho que é hora de sentirmos isso, todos nós temos que refletir sobre isso.  Não tem como sair feliz de campo nem querer que o nosso torcedor não nos cobre, temos que ser maduros nesse sentido. Digo ao torcedor que vamos continuar e vamos reverter esse quadro. Jamais queríamos estar em uma situação dessas”, pontua.

Kleina ressalta que a Macaca tem o Grêmio pela frente, em Porto Alegre, mas precisará encontrar novamente o caminho independentemente disso.  “Temos um jogo dificílimo pela frente, mas é justamente nesses momentos que temos que resgatar, mexer com o brio de todos, e temos condições de fazer bons jogos fora. Ainda não aconteceu uma vitória, são quatro jogos que não vencemos, interrompendo a Sul-Americana que fizemos 1 a 0, e alguns fatores que estamos tentando ajustar”, pondera.

Ele salienta reforça que, apesar das dificuldades, vai buscar fazer o time evoluir o quanto antes. “Perdemos jogadores importantes, fizemos uma troca e são jogadores que estão se adaptando à Ponte Preta. E estamos tendo que nos adaptar dentro de uma Série A, quando a equipe oscila, então nós sofremos com isso. Mas é hora de estarmos aqui: nunca fugi e não vai ser diferente agora. Vamos fazer de tudo para resgatar. O torcedor sabe como trabalhamos, como cobramos, todos estão tristes. A ferida está aberta e vamos colocar o dedo nessa ferida, cicatrizar e deixar tudo saudável para ser feliz novamente no campeonato”, afirma.

O comandante alvinegro diz ainda que o clube  busca reforços e também revela possíveis mudanças para o confronto contra o Grêmio, no domingo (16). “ Estamos atentos para tentar reforçar e não adianta eu fazer um discurso sobre o mercado, porque o torcedor não quer saber sobre isso. Estamos tentando trazer um jogador pontual, como aconteceu com o Emerson, o Rodrigo, o Marllon, alguns meninos que estão tendo oportunidades. A equipe da Ponte é experiente e temos que avaliar algumas situações. Seja mais força, ou velocidade pelos lados, para que possamos melhorar, ser mais agressivo. O que me incomoda é que os gols não estão saindo.”

Ele ressalta que na derrota para o Bahia a Ponte teve bons momentos, mas não conseguiu finalizar. “Tivemos chances importantes, mas não fomos decisivos. Falei na palestra que às vezes não precisa ter mais que três ou quatro oportunidades, basta uma , mas temos que ser eficientes. Temos que trabalhar , encarar esse Grêmio fora de casa, com muita força. Lá vai ser um jogo de pegada e temos que tentar sair de lá com a vitória, que é o que queremos. Não podemos dentro de casa torna essa derrota do jeito que foi. Estamos sentidos, mas ao mesmo tempo tenho que levantar a força de todos”, completa.

Ainda sobre o jogo de ontem, Kleina faz uma análise. “Achei que no primeiro tempo fomos muito superiores ao adversário, mas o primeiro gol desestabilizou. Deu para ver que o time ficou um pouco mais nervoso. Chamei o Lucca, o Emerson e disse para termos tranquilidade. Parecia questão de tempo para empatarmos o jogo. Mas no segundo tempo, o Jorginho fez uma mudança, abdicou de propor o jogo, ficou só no contra-ataque. O segundo gol foi um chutão. Demos condições, o gol foi legítimo. E depois disso eu abri, coloquei o Saraiva pelo lado, o Xuxa para organizar, mas eles encaixaram o contra-ataque, fizeram o terceiro gol, que foi muito mais pela nossa desorganização, pelo ímpeto de tentar entrar no jogo e fazer um gol”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS