Presidente Abdalla e Ronaldão recebem atletas e, em conversa com a imprensa, falam sobre a instituição, o time e expectativas para o ano

 

Foto:Pontepress/ThiagoToledo

O elenco pontepretano para a temporada 2018 se apresentou nesta terça (2) e foi recepcionado pelo presidente José Armando Abdalla Jr. e pelo diretor de futebol Ronaldão. Os dois falaram aos atletas no vestiário, destacando a história e a tradição da Macaca, e enfatizando que o time confia nos jogadores para que a Ponte Preta tenha um ótimo ano em campo, em especial no Brasileiro da série B, no qual a meta é conquistar o acesso.

Na sequência, ambos os dirigentes falaram à imprensa e foram questionados sobre diversos temas. Confira abaixo as respostas aos principais temas abordados.

PRESIDENTE ABDALLA

História na Ponte

A minha história na Ponte vem desde 1964, nas categorias de base, depois passei a integrar o Departamento Médico, sou conselheiro desde  1974 e durante 10 anos presidi o Conselho Deliberativo. Sou conselheiro nato e nessa eleição de agora fui convidado a presidir a Assembleia da votação, depois questionado se não gostaria de voltar a atuar de maneira mais ativa da Ponte Preta. Sempre me coloquei à disposição sempre e colaborei com a Ponte Preta. Com o desenrolar dos fatos, meu nome foi indicado para presidente e acabei aceitando esse desafio, pois na minha concepção não é um desafio, afinal sou um pontepretano e é uma honra presidir essa entidade.

Convite a Ronaldão 

O convite para o Ronaldão ser o diretor de futebol  veio ao encontro da nova conjuntura do futebol brasileiro, em outros clubes ex-atletas estão sendo alçados a posição de diretoria, para uma administração mais efetiva. O Ronaldo é um amigo de longa data, frequentamos o mesmo clube e um dia depois da eleição perguntei para ele o que achava ser diretor de futebol da Ponte Preta. Ele se colocou à disposição naquele momento e após alguns dias e reuniões ele aceitou o convite.

A situação financeira

A Ponte Preta administrativamente é um clube muito bem estruturado. A situação crucial é que no momento do mercado futebolístico brasileiro passa por uma transformação e a Ponte em uma situação mais delicada ainda: nós vamos ter menos de 1/3 do orçamento anterior e tem que ser feita uma readequação dos custos. A parte financeira é a mais delicada e todas as nossas ações vão ser norteadas dentro do aspecto financeiro. Não dá para cometer deslize nesse sentido, caso contrário podemos no futuro inviabilizar no futuro uma série de ações.

Título na série B?

Não é uma promessa, vou deixar bem claro. A Ponte quando disputou a Série A e, quando comparada à estrutura financeira e do poderio da maioria dos clubes da elite, ela era um clube pequeno em relação a eles. Mas a Série B é mais nivelada e a Ponte passa a ser o clube grande da Série B. Pode até ter outras  equipes no patamar da Ponte, mas em condição superior não tem. A volta para a Série A é consequência do campeonato e pelo meu feitio e da diretoria não vamos apenas disputar o campeonato: vamos nos esforçar para sermos campeão. Não é uma promessa, até porque, como diz o jargão, futebol é uma caixinha de surpresas, portanto existem diversas situações que podem acontecer ao longo do ano, mas queremos chegar no final com a sensação de dever cumprido e devolver a Ponte ao lugar de origem dela que é a Série A.

 Mudanças de diretoria e em cargos do clube

As mudanças ocorrem para que haja um progresso em toda a sua essência. É muito grande essa questão do astral que envolve a instituição. Então, toda mudança é pensando no benefício do futuro da Ponte. Do meu perfil, não sou tão arredio à imprensa, mas gosto de falar somente o necessário quando necessário. Pra isso temos uma diretoria e cada um tem a sua função. No futebol, por exemplo, a referência é o Ronaldo. Como os outros departamentos, cada um tem o seu diretor e a essência de todos é Ponte Preta. Em relação à gesto passada, os diretores que fizeram um grande trabalho foram mantidos, através de uma análise da comissão de transição. Outros é o momento de remodelar e foram trocados. Simplesmente isso. 

Política do clube

Em um determinado momento houve uma divergência política, mas estamos abertos a quem vier somar a nossa caminhada.

O time deste ano

O torcedor pode esperar muita dedicação, muita fibra, é um time que vai pra cima, que vai se dedicar. Temos o Paulista e a Copa do Brasil, mas o objetivo principal é o acesso para a Série A e brigar, sim, por um título.

 RONALDÃO
 

O convite para ser diretor na Ponte

Foi uma decisão tranquila. O convite foi feito e depois alinhamos em outras reuniões e acabou dando certo. Pra mim é um prazer retornar. Infelizmente teve esse acidente de cairmos para a segunda divisão, mas estamos aqui para poder reconstruir a Ponte novamente e para que o futebol pontepretano convença e possa melhorar nessa temporada. Minha ligação com a Ponte é total. Moro em Campinas até hoje, filhos e família totalmente adaptados a cidade. E é um prazer retornar ao clube.

Dirigente no São Paulo?

Recebi uma ligação do Raí, foi em um domingo, fui na casa do Raí, conversei com ele sobre assumir um cargo diretivo no São Paulo. Foi apenas uma conversa e naquela mesma noite a Ponte começou as tratativas comigo. A Ponte foi bem mais rápida e efetiva no convite. Logicamente pela minha ligação com o São Paulo e com o Rai, teve essa sondagem, mas convite oficial foi o da Ponte mesmo. 

Elenco 2018

Conversei com a comissão técnica, eles estão bem motivados na montagem do elenco. Os jogadores foram escolhidos a dedo, para chegar na Ponte e jogar na pressão e cobrança que é aqui. Está sendo uma montagem positiva. Logicamente temos que esperar a bola rolar e temos um primeiro desafio pesado contra o Corinthians, mas eu confio nas pessoas que escolheram esse elenco. Acredito que vai dar uma liga boa para fazermos um grande ano. Os critérios para escolha foram muito positivos. 

Pré-temporada

Vamos ter um início de preparação igual ao das outras equipes. A Ponte encerrou de maneira desgastante a última temporada e não adianta falar muito disso agora. Refazer uma equipe exige paciência para ter uma qualidade maior. 

Estilo Ronaldão no comando?

O Estilo Ronaldão é como sempre fui na minha vida, pautado com seriedade e muita responsabilidade. É mais um desafio na minha carreira. Vou trabalhar com o presidente e a diretoria para a Ponte voltar a brilhar novamente.

Negociação de Bruno Silva

A principio a Ponte vai usar o contrato que tem, com participação na venda do jogador. E isso seria um ressarcimento muito bom para a Ponte. Em essa venda acontecendo, seria um recurso a mais. Em relação a jogadores que ofereceram, não chegamos a acordo, até pela nova política financeira da Ponte, que é um orçamento mais enxuto. O interessante para a Ponte hoje é gerar um recurso financeiro para acrescentar no que ela tem.

Saída do zagueiro Rodrigo 

Existe esse problema financeiro do Rodrigo, mas tudo o que aconteceu acaba dificultando a permanência. Ele tem a possibilidade de buscar uma nova equipe para continuar a sua carreira e esse é o acordo mais provável no momento. Foi uma pena o que aconteceu, cheguei a jogar com ele aqui na Ponte. Mas agora é vida que segue. Ele tem que buscar novos horizontes e temos que seguir em frente. 

Atual orçamento para o elenco

O teto salarial é reduzido. Cada jogador tem uma negociação.  Às vezes você tem um salário um pouco maior, um pouco menor, então não temos ainda uma ideia de em quanto ficará o orçamento total. A atual situação dificulta um pouco, mas no futebol  a gente sempre consegue com jeito e criatividade montar uma equipe competente.

 O time de 2018

O teste realmente será o Paulista. Nosso objetivo é montar um bom time, preparar para disputar a Série B e a Copa do Brasil. Faltam algumas peças e é isso que estamos buscando dentro do orçamento. A dificuldade maior é na lateral esquerda, alguém com qualidade e que se enquadre. Estamos apostando na base também e buscando outras peças no mercado. 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS