CT da Macaca é aberto oficialmente para a Copa e prefeito de Campinas ressalta: em breve encaminhará liberação da Arena Ponte Preta

Publicado em: 09/06/2014


Crédito obrigatório para reprodução das fotos:
PontePress/DJotaCarvalho

Agora é aguardar a chegada de CR7: em evento com mais de 400 pessoas na manhã  - entre as quais jornalistas brasileiros e portugueses e diversas autoridade – o Centro de Treinamento da Ponte Preta oficialmente abriu as postas para receber a Seleção Portuguesa, que chega a Viracopos às 11 horas da quarta-feira e na quinta já realiza treino aberto para dez mil pessoas no Majestoso. O prefeito Jonas Donizette, que até cobrou pênalti parta “estrear” a nova casa – o primeiro, “como aquecimento”, no alambrado e outro convertido em belo gol – também aproveitou para falar sobre a futura Arena alvinegra.

 

“Estamos finalizando os projetos que garantirão que os dois times da cidade efetivem os planejamentos que têm para melhorar suas condições financeiras e voltarem a crescer. Pretendo enviar muito em breve para a Câmara o decreto que possibilitará as condições para que a Arena da Ponte Preta se torne uma realidade e conto com os vereadores para que este processo se finalize rapidamente. Até porque esta Arena trará vários benefícios à cidade. Inclusive pelo projeto haverá parte das rendas obtidas em eventos destinadas ao Conselho Municipal de Incentivo ao Esporte”, ressaltou o prefeito.

 

Em relação ao CT em si, Jonas elogiou muito o trabalho realizado – e aprovado pela Federação Portuguesa de Futebol e o técnico Paulo Bento, que acompanharam as obras e fiscalizaram o local pessoalmente em pelo menos quatro ocasiões. “O Centro de Treinamento está muito bonito e Portugal já é o segundo time do coração de Campinas, atrás apenas do Brasil. Vamos torcer para que eles vão longe na competição e eles já disseram que enquanto disputarem o Mundial a casa deles será aqui”, disse.

O prefeito acrescentou que não houve investimento de dinheiro público no local. “O setor privado se uniu, em prol da cidade, por entender a importância de termos seleções aqui. Destaco e agradeço neste sentido a PDG e a Brasilinvest, que nos ajudaram muito aqui no CT da Ponte. E quero registrar que recentemente encontrei com a prefeita de Guarujá e vimos que conseguimos fazer aqui estruturas excelentes para duas seleções com os valores que eles investiram em uma lá”, afirmou, relembrando ainda que sete seleções chegaram ou chegarão ao Brasil pelo aeroporto de Viracopos.

Dicá

O presidente Márcio Della Volpe fez questão de registrar um agradecimento especial a Dicá, que coordenou de perto as obras do CT. “Dicá foi nosso maior camisa 10 no campo e aqui, nas obras do CT, foi mais uma vez um camisa dez fazendo o meio de campo entre a Ponte Preta e a prefeitura”, afirmou.

 O mandatário acrescentou que o legado da Copa para a Macaca é significativo. “Só temos a agradecer à Prefeitura de Campinas ao trabalho realizado em conjunto com a Ponte, e à própria FIFA. A diretoria da Ponte batalhou demais por isso. Vamos fazer um uso especial desse gramado após a saída de Portugal, um gramado de primeira linha e toda a estrutura necessária para preparação e treinamentos.”

 

O CT alvinegro realmente fico padrão FIFA, tendo passado por uma ampla reforma estrutural, do gramado à área interna da sede. A grama – bermuda, certificada pelo fornecedor da Federação Internacional - já passou por todas as etapas de tratamento que a transformaram em um verdadeiro tapete. Além do campo que o CT já possuía, um minicampo para treinamento de goleiros foi acrescentado aos fundos e as laterais, ampliadas. O técnico Paulo Bento já adiantou que pretende utilizar ao menos uma delas para realização de exercícios físicos

O prédio do CT, que tinha cerca de 250 metros quadrados, mais que dobrou de tamanho. A área de academia de musculação – equipada com os melhores aparelhos, que a Macaca já possuía – foi mudada e ampliada, há dois vestiários com chuveiros, balneário com banheiras quente e fria, sala e banheiros exclusivos para a comissão técnica, sala de fisioterapia, departamento médico, jardim de inverno e área para reuniões. Todos os locais têm entrada independente, com saída direta para o campo.

Os alambrados feitos nas medidas solicitadas por Paulo Bento foram colocados – um deles coberto por uma proteção que impede a visão da área de imprensa – e os outdoors que impedirão a visão da Anhanguera e reduzirão o som da pista estão prontos: só não foram colocados em suas estruturas hoje para permitir que a imprensa pudesse fazer fotos externas do gramado (já que por determinação da FIFA a mídia não pode caminhar sobre a grama). As placas de metal mais elevadas, porém, já foram colocadas por guindastes e ocupam o local determinado pelos portugueses.

 

 

A ponte instalada pelo exército sobre o córrego que divide o centro em duas partes também já ocupa seu lugar, fornecendo a ligação entre a área dos campos e  o pátio para os caminhões de link (com capacidade para cerca de 80 deles) e a mega-barraca de imprensa, com capacidade para atender 400 jornalistas com tranquilidade. A tenda, por sinal, é dividida em duas partes: uma com as mesas e cadeiras com conexão para computadores e Internet; a outra para as coletivas.

 

 

A ideia inicial de Paulo Bento é que, quando ele optar em abrir o treino para 15 minutos de captação de imagem, uma van levará os jornalistas sobre a ponte até a área dos campos e findo o prazo os transportará de volta. Quando forem falar aos jornalistas, jogadores e técnicos farão o percurso contrário. Integrante do Grupo G, Portugal estreia na Copa dia 16 de junho, contra a Alemanha, na Fonte Nova, e logo após o jogo já retorna para Campinas.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais