Volante Edson diz que defender a Ponte é motivador

Publicado em: 12/01/2019


Foto:PontePress/ThiagoToledo


A equipe da Ponte Preta segue em ritmo intenso de preparação para a estréia do Campeonato Paulista, no dia 19 de janeiro, e fará nesta tarde o segundo jogo treino da pré-temporada. Na primeira atividade deste tipo, a Macaca derrotou o Velo Clube por 2 a 0 e hoje o confronto é contra o Juventus-SP. Um dos reforços do clube para a temporada de 2019 é o volante Edson, que participará da atividade. O jogador se mostra contente e grato pela oportunidade de vestir a camisa alvinegra neste ano.

“Estou muito feliz em estar aqui na Ponte Preta. Não é à toa que vim para cá. Peguei informações de vários companheiros, de pessoas que trabalharam aqui e só tive respostas positivas de todos. Minha escolha foi essa”, diz o jogador, que acrescenta: “Todos sabem que o Campeonato Paulista é muito forte, tem a Copa do Brasil e o Brasileiro Série B, que é o objetivo do clube. Vamos fazer de tudo para levar a equipe para a Série A, que é o lugar que a Ponte merece estar.”

Experiente, o atleta de 27 anos ressalta a importância do trabalho em grupo para o sucesso de uma equipe. “Tem um ditado que fala que um andorinha só não faz verão, então, eu sozinho não posso fazer absolutamente nada pela equipe, mas sim o conjunto, o grupo em si. Eu sou apenas uma unidade, que vai completar o grupo da Ponte a conquistar os objetivos. Já venho de cinco anos seguidos em Série A. Foi uma opção minha em vir para a Ponte, pelo projeto que me apresentaram, o que falaram o que o clube pretende na temporada e isso me motivou. Cabe a mim retribuir a confiança que depositaram em mim”, reforça.

Sobre o número de meio-campistas na equipe, Edson joga a responsabilidade para o treinador. “É uma disputa que vai depender do sistema que o Mazola optar por jogar, mas o treinador sabe o que é o melhor para a Ponte, quem vai se encaixar melhor no perfil e naturalmente será escolhido. A Ponte Preta está bem servida nessa posição e também nas demais”, avalia o atleta;

Edson conclui: “Cabe aos jogadores saberem fazer a leitura do jogo na partida, porque de repente pode ter um meia que faz um terceiro volante, um primeiro volante que pode fechar uma linha de quatro. Tudo depende do que o treinador pede. Estamos aqui para cumprir funções.”


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais