Gilson Kleina avalia vitória da Ponte sobre o BOA e valoriza mais uma rodada em que a Macaca se aproxima do G4

Publicado em: 07/11/2018


Foto:PontePress/FábioLeoni

O técnico Gilson Kleina avalia positivamente o desempenho da Ponte diante do BOA, em partida disputada na noite desta terça-feira (6), no Moisés Lucarelli, onde a Macaca saiu com a vitória pelo placar de 1 a 0. Essa foi a quinta vitória em seis jogos: desde que o treinador retornou ao clube, a Macaca está invicta . Ao todo foram 16 pontos em 18 disputados. “Temos que dar mais mérito para a nossa equipe, que soube ter maturidade para fazer as duas vitórias em casa. Isso é importante, porque além de mantermos a pontuação para o nosso objetivo, mantemos a matemática para chegar no grupo de cima. Mais uma vez tenho que passar para os torcedores que vivemos um jogo de cada vez”, afirma Kleina.

O treinador detalha o que viu na partida. “A melhor jogada que tivemos no primeiro tempo foi uma do Matheus com o Tiago, em que o André saiu na cara do gol. Depois foi um jogo truncado e no segundo tempo mudamos a forma de agir. Tivemos duas bolas que entraram pelo lado e se tivéssemos capricho poderíamos ter aberto o placar ali. Fico feliz pelo gol porque trabalhamos muito bola parada. Mais uma vez conseguimos a vitória e se for dessa maneira que vamos conquistar, vamos apostar e trabalhar. Não é só esse ingrediente que temos, mas foi uma vitória de uma equipe que fez valorizar os três pontos, por tudo o que aconteceu no jogo”, destaca.

Kleina já mostra atenção em relação ao Juventude, próximo adversário, na sexta-feira (9), em Caxias do Sul. “Que tenhamos uma leitura inteligente na Serra Gaúcha. Para jogar contra equipes gaúchas nós sabemos que tem que competir. Essa equipe está competindo e vamos lá, com sabedoria, tranquilidade, para voltar com o resultado positivo, que é o que nos interessa. Cada um correndo pelos seus objetivos e espero que sejamos competentes”, frisa o treinador, que ressalta o trabalho feito pelo setor defensivo, em especial a Renan Fonseca, autor de dois gols, nos últimos dois jogos.

“O Renan é uma referência. Conhece bem essa divisão, onde jogou pelo Botafogo, e é um jogador que tem um posicionamento muito bom, pela experiência que ele tem. Mudamos um pouco a forma de marcar na cobertura dos laterais, tanto para ele, como para o Reginaldo. Respeito todo trabalho realizado aqui, mas acho que estávamos vulneráveis. Não posso entender que só um volante pode fazer o primeiro combate. E muitas vezes no contra-ataque, ficavam os dois zagueiros para os adversários fazerem a situação. Essa marcação tem que ser contagiante e, muitas vezes, feita até pelos atacantes. É importante essa evolução e essa confiança é muito mais pela execução deles, jogadores”, completa Kleina.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais