Em Maceió/AL, Ponte treina nesta quinta (11) e Kleina acredita em evolução da equipe, em busca de mais um resultado positivo

Publicado em: 11/10/2018


 

Foto: PontePress/FábioLeoni

A delegação da Ponte Preta já está em Maceió/AL, onde enfrenta o CSA, na sexta-feira (12), em mais um compromisso pelo Campeonato Brasileiro Série B. Antes disso, a equipe da Macaca faz o último trabalho preparatório para o embate contra os alagoanos, nesta quinta-feira (11). Para o comandante pontepretano Gilson Kleina, o desafio contra o CSA promete ser equilibrado.

“O respeito nós temos para com todos. Tanto com o CRB, que sabíamos que seria um jogo difícil – claro que a estratégia que o adversário adotou, de fazer uma linha de cinco foi mais defensivo do que nós esperávamos – e nós tivemos paciência. Claro que aceleramos, em alguns momentos nós oscilamos mais por nervosismo, mas a equipe buscou a vitória, teve essa força de ter os resultado de três pontos. Agora vamos pegar o CSA, que está em uma outra situação no campeonato. Briga lá em cima, está no G4, uma equipe de jogadores experientes, com qualidade técnica acima do que eu pude ver, entre as equipes que estamos enfrentando”, avalia o treinador, que acrescenta.

“O CSA tem um treinador que está lá desde fevereiro. O Marcelo é um conhecedor da divisão, já teve acesso em outros clubes e sabemos que será um jogo difícil. Esperamos subir um degrau de confiança, uma autoestima mais elevada, personalidade de jogar fora de casa. Sabemos que temos de marcar, mas não podemos abdicar de jogar”, comenta Kleina, que define na última atividade, a formação titular que irá enfrentar o time de Alagoas.

“Eu preciso saber como é nossa postura fora de casa. Para se ter um resultado pontual é necessário equilíbrio, e isso passa por consistência. Não quero abdicar de jogo. Temos que ter nossa forma de jogar. Se vamos posicionar com um meia ou volante a mais, ou com três atacantes, ainda será definido. O importante é que a formatação que nós entrarmos, tenhamos confiança”, reforça.

Independentemente dos onze titulares, o técnico Gilson Kleina deve buscar um time mais experiente. “A importância da experiência em um momento desses, em primeiro lugar é por conta de serem atletas que já passaram por esse tipo de situação em algum clube e outros por já conhecerem a Ponte Preta. Mas temos condições de nos reerguer, de nos reestabelecermos no campeonato, mas claro, temos que viver um jogo de cada vez”, diz Kleina, que reforça.

“Primeiro passamos pela vitória dentro de casa – e ao mesmo tempo que pode parecer mais confortável, de repente não é, porque a pressão estava muito mais em nós internamente, além da cobrança do torcedor – e fora de casa, a equipe tem que continuar com essa exigência. Por isso optamos por jogadores mais experientes. Eu espero que nossa equipe tenha uma evolução e que possamos trazer pontos importantes de Maceió”, avalia o técnico.

Kleina enfatiza que o time está em Maceió em busca da vitória. “Sempre temos que trabalhar com o intuito de vencer. Isso é algo que prego há alguns anos e algumas coisas estão acontecendo. Nós não chegamos ao vice-campeonato Paulista à toa. É um trabalho de campo forte, que nós mobilizamos e o trabalho do emocional. O atleta, quando vai defender as cores da Ponte Preta, tem que entender o que significa esse sentimento e depois a ambição do clube, e a ambição pessoal. Isso tem que estar atrelado a todos dentro do vestiário. Vamos buscar sempre os três pontos, mas se não der, ao menos pontuar é importante. Que busquemos essa regularidade, pois teremos identificação de jogo e isso nos dá um maior desempenho”, completa.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais