Doriva diz que não há tempo para lamentar derrota na estreia na Série B: reação tem que ser imediata

Publicado em: 15/04/2018


Crédito obrigatório:
DanielRibeiro/PontePress

Jogando de portões fechados sem a presença do torcedor da Macaca, a Ponte foi surpreendida na noite de sábado pelo Paysandu na estreia do Campeonato Brasileiro da Série B. Com um gol logo aos três minutos do adversário, 1ue depois se fechou na defesa para sair nos contra ataques, a Ponte conheceu a sua primeira derrota no torneio.

“A gente esperava estrear com uma vitória, mas infelizmente não fomos capazes de transformar volume em gol. Tomamos um gol em um erro individual nosso no início da partida. O Paysandu já viria em uma linha de cinco atrás e o gol no início ficou melhor para eles. Eles ficaram atrás e explorando os contra ataques. É a cara da Série B", diz o técnico Doriva.

O treinador ue já ollha para frente. "Não podemos ficar lamentando, temos que buscar alternativas. Essa derrota é dolorida e temos que sentir e tirar lições. Haverá uma sequência de jogos em casa assim e temos que aprender com os erros. Os adversários que virão jogar com a Ponte aqui serão desse jeito. Então temos que buscar alternativas para fazer jogos mais sólidos”, enfatiza.

O técnico crava que a reação no Brasileiro tem que ser imediata, mesmo jogando fora de casa. “A gente orienta, a gente conversa e mobiliza todo mundo para que não aconteça isso. Foi uma desatenção nossa, alguns vacilos. E ali é zona de risco zero. Ali se tiver que dar chutão, dá chutão. Se cometer um erro ali é quase fatal. E o jogo se desenhou para o que eles queriam. A reação tem que ser imediata. Vamos nos organizar e o que der para treinar vamos treinar. Por conta do desgaste e das viagens não é possível treinar muito. Mas vamos reagir o mais rápido possível. A nossa meta é o Brasileiro. Temos que reagir mesmo fora de casa e buscar uma vitória”, finaliza.

 


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais