Presidente Abdalla participa de definições da série B na CBF: dérbi no Majestoso será no segundo turno, em agosto, e terá torcida da Macaca

Publicado em: 06/02/2018


 

Foto: CBF

O presidente José Armando Abdalla Jr esteve na Confederação Brasileira de Futebol nesta tarde de terça (6) e participou pessoalmente d reunião que definiu questões técnicas do Brasileiro da série B. A boa notícia para a Ponte é que o dérbi do primeiro turno do Brasileiro da série B - que será realizado no dia 1º,  4 ou 5 de maio, na quarta rodada - ocorrerá no estádio adversário. Portanto, o confronto do Majestoso não será atingido pela punição imposta a Macaca de realizar os primeiros seis jogos da série B com os portões fechados.

O dérbi no estádio Moisés Lucarelli ocorrerá no segundo turno – na 23ª rodada, no final de agosto- e terá a presença do torcedor pontepretano, aliás, assim como todos os jogos da Ponte neste ano, será de torcida única. Já as seis  partidas que a Ponte realizará sem a presença do torcedor no estádio serão a estréia contra o Paysandu (no dia 13 ou 14 de abril), o Londrina (terceira rodada), Atlético Goianiense (sexta rodada), Oeste (oitava rodada), Goiás (nona rodada) e CSA (12ª rodada).

O primeiro jogo que a torcida poderá assistir em casa será contra o Fortaleza, na 14ª rodada do Brasileiro, em 3, 4 ou 7 de julho.A última rodada do Brasileiro da série B ocorrerá em 24 de novembro.

Mudanças

A CBF atendeu reivindicação dos times em relação ao aumento do número de passagens aéreas e hospedagem custeados pela entidade: a partir de 2018, a entidade vai arcar com os custos de 30 pessoas em cada viagem. A data limite para inscrição de jogadores na competição será 10 de setembro e houve a manutenção do número de atletas que poderão ser inscritos, seguindo em 40 jogadores.

A proibição de mandar jogos fora do estado de origem também está mantida e a janela de transferências será aberta na data de 20 de junho, fechando no mesmo dia do mês seguinte. Uma mudança em particular, no entanto, foi negativa para a Ponte.

Em uma votação entre os clubes, por 10 votos a 8, os presentes resolveram que as cotas recebidas seria dividida por igual entre os demais participantes e não mais por critérios de desempenho anteriores. Desta forma, todos receberão cerca de R$ 6 milhões, o que significa que a cota da Ponte foi reduzida em cerca de um milhão de reais.

Apenas duas equipes têm verbas maiores que as demais participantes da série B - Coritiba (35 milhões) e Goiás (26 milhões) - porque além das cotas da CBF ainda têm contratos em vigor com a Rede Globo.

 


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais