TC10+

Notícias

Notícias > Sheik diz que grupo está fechado e ressalta: "Continuo acreditando no projeto que me trouxe para a Ponte e vamos melhorar porque temos a capacidade de melhorar"
  • Tamanho da Letra
  • A+
  • A-
  • Imprimir

Sheik diz que grupo está fechado e ressalta: "Continuo acreditando no projeto que me trouxe para a Ponte e vamos melhorar porque temos a capacidade de melhorar"

Publicado em: 13/07/2017

Crédito obrigatório:
PontePress/FabioLeoni

O elenco da Ponte Preta se reapresentou na manhã desta quinta-feira(13) após a derrota para o Bahia. Os jogadores combinaram de se apresentar mais cedo para se reunirem e conversarem sobre o momento da equipe. O atacante Sheik participou da coletiva de imprensa e contou sobre como foi a reunião entre os jogadores.

É consenso no grupo que a responsabilidade pelos bons e maus momentos deve ser distribuída entre todos e não cair a responsabilidade do mau momento apenas em alguns. “Eu entro pra jogar e entro muito focado. É muito raro eu ouvir o torcedor. E ontem eu ouvi a torcida xingando o Gilson. E eu tenho esse convívio diário com o cara, extremamente do bem, um baita profissional, eu não tinha trabalhado com ele antes. Me surpreendi positivamente. Porque é um cara muito qualificado. E ontem no final do jogo eu ouvi a torcida xingando ele, porque torcedor é paixão e emoção o tempo inteiro. Eu acho que a responsabilidade não é do cara. Não deixa de ser dele, ele tem a responsabilidade dele. Mas quem entra pra jogar são os atletas", enfatiza.

Ele completa: "Eu não estou querendo defender o Gilson. E hoje discutimos o que pode melhorar, acertar e todos nós estamos de acordo que a responsabilidade é mais de quem entra em campo e joga do que o treinador. E isso não é uma proteção ao treinador”.

Sheik afirmou que mantém confiança total no projeto que o trouxe a Ponte Preta. “É óbvio que a derrota deixa todos nós bem tristes. Eu continuo acreditando no projeto da Ponte. Porque, venho aos treinos diariamente, convivo com os profissionais aqui, e sei do comprometimento de cada um deles e da maneira que é feito o trabalho. Eu continuo acreditando. Nós fizemos 13 jogos no Campeonato Brasileiro, um campeonato que só termina em dezembro. É óbvio que nos últimos quatro jogos não fomos bem. Nós reconhecemos isso e certamente vamos melhorar porque temos capacidade de ser melhores. Todo o planejamento que me seduziu para eu estar aqui hoje, continuo acreditando porque sei da capacidade dos profissionais aqui”.

Sheik chamou a responsabilidade da falta de gols e que o grupo se cobrou, cada um na sua função, no que pode ser melhorado. “Eu ali na frente não estou conseguindo achar os espaços para finalizar. É uma responsabilidade minha também de estar finalizando mais. O meio trabalhar um pouco mais a bola para que os atacantes tenham mais clareza para finalizar. Os meninos estão de acordo com isso. Encontramos várias situações que é responsabilidade nossa, dos atletas. A reunião hoje foi muito boa. Entendo que o torcedor tenha ficado bravo e chateado. Eu tenho certeza que as coisas vão melhorar. Nós estamos no início do Campeonato. A Ponte chegou na final do Paulista, pra mim o regional mais difícil do Brasil. E estamos há quatro jogos que não jogamos bem e nem vencemos. Não tem desespero, e temos a convicção de que vamos melhorar”.

Sheik disse ainda que viu a equipe com a confiança intacta na reunião, mesmo após os últimos resultados. “O que me surpreendeu muito na reunião foi sentir a confiança da equipe na equipe. Todos bem tristes por termos perdidos os jogos, despencado na tabela, mas a confiança ela permanece, inclusive por parte do Gustavo. Um cara que sempre está aqui com a gente, tem nos apoiado bastante. Essa confiança vem da comissão técnica e da diretoria. Não existe dúvida sobre o nosso trabalho. Hoje a galera chegou mais cedo para a reunião confiante. Sabemos que o nosso próximo jogo é muito difícil, complicado de se ganhar lá. Vamos tentar ganhar lá. Aqui nada mudou. A gente continua querendo fazer uma campanha melhor que a do ano passado. O Campeonato Brasileiro ainda tem muita coisa pra acontecer”.

Segundo o atacante, a Ponte irá se preparar para buscar um resultado positivo fora de casa, mesmo sabendo das dificuldades que irão enfrentar. “É o momento de dar um passinho atrás, recuar um pouco, fazer as coisas mais simples, buscar um resultado bom, ou no mínimo jogar bem. Aprendi que no futebol é tudo merecimento. Temos que ter um nível de concentração um pouco maior. Alguns momentos temos nos descuidado na partida. É recuperar tudo isso e daí aquela confiança do início ela vai voltar aos poucos”, acredita.

Sheik finalizou afirmando que a reunião entre os jogadores foi muito importante. E que todos chegaram a conclusão que pode existir mais entrega em campo durante as partidas “As verdades foram ditas na reunião. Isso é muito importante, deixar o lado da amizade um pouco de lado, pois acima de qualquer atleta tem a Ponte Preta. A Ponte paga o nosso salário em dia. O mínimo que podemos fazer é ter um pouco mais de dedicação no jogo. A gente perder porque o outro clube investiu um pouco mais, tudo bem. Mas a gente pode se entregar um pouco mais. Todos nós entendemos isso para voltar a ser a Ponte Preta que as outras equipes temem quando vem jogar aqui”.

 

< Voltar

Outras Notícias

SMS Receba promoções e resultados
Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter